Solicite atendimento por WhatsApp!
Nosso
Blog
Aqui estão textos e conteúdos ligados à educação publicados por nossa equipe pedagógica e professores.
Meu filho tem dificuldade em seguir o cronograma de estudos. Como ajudá-lo?

Montar um cronograma de estudos é um dos passos fundamentais para garantir que a rotina de estudos do seu filho seja respeitada de forma a abranger os conteúdos vistos na escola, as tarefas escolares e as revisões necessárias para que ele não só vá bem nas provas, como também absorva o conhecimento para a vida. Algumas escolas têm os seus próprios cronogramas, o que é uma facilidade para a família, outras deixam em aberto esses horários e são os pais que têm que fazer a função de planejamento.

Em todo caso, nem sempre o seu filho conseguirá se adaptar (de primeira) à ideia de cumprir uma rotina de estudos com horários e funções bem demarcadas…

Garoto cansado com a cara nos livros

O que fazer nessas horas? Acompanhe as dicas a seguir e saiba como ajudar o pequeno.

#Planeje corretamente o cronograma

É lindo de se ver um cronograma de estudos com quatro horas por dia a serem cumpridas, porém, essa quantidade pode não ser a ideal para uma criança de sete ou oito anos, né? Por isso, planejar corretamente significa avaliar a situação do seu filho. Será que o cronograma virou apenas uma meta impossível? Talvez ele esteja cumprindo alguns minutos ou horas a menos e você acha que isso é sinal de que algo não vai bem, porém, pesar as horas que o pequeno de fato consegue estudar, de acordo com os limites e capacidades dele, é muito importante.

Avalie o quanto ele precisa estudar na semana e divida com equilíbrio as matérias durante os dias. Para aproveitar o exemplo, podemos pensar que um bom cenário é uma criança de sete ou oito que estuda, no máximo, três horas por dia. O foco deve ser a qualidade das horas estudadas, principalmente quando o seu filho ainda é criança e precisa consolidar aos poucos o hábito dos estudos.

#Mantenha a flexibilidade

Da mesma forma que o compromisso com o cronograma de estudos é necessário, o excesso dele pode acabar gerando ansiedade e desespero. Se o seu filho não conseguir cumprir uma atividade em um dia ou em determinado horário, tente flexibilizar e, juntos, programem-se para que ele a execute no dia seguinte.

O melhor é demarcar as tarefas de forma genérica e não com horários rigorosos, pois, se você colocar no plano que é necessário estudar matemática na segunda às 14h e o seu filho não conseguir cumprir isso, todo o plano estará comprometido, já que às 15h ele provavelmente terá que estudar outra matéria. Tente, ao invés disso, dividir os horários da seguinte forma:

Segunda-feira:
2h de estudo:
1ª hora - Matemática (conteúdo X + exercícios)
2ª hora – Português (conteúdo X + exercícios)

Viu? Você estabelece o compromisso de estudar, mas não marca o horário exato, apesar de que a rotina deve ser cumprida preferencialmente no mesmo horário para a criação do hábito de estudo.

Fica a dica: para flexibilizar, repense o cronograma de estudos sempre que sentir necessidade: reavalie horários, coloque outros tópicos do conteúdo, aprenda sobre as horas de maior rendimento e maior cansaço do seu filho, compreenda as suas facilidades e os seus limites, estabeleça pausas e horas de lazer.

#As horas de lazer contribuem para a execução do cronograma

**Imagem do filme O Pequeno Príncipe, de 2015** (Imagem do filme O Pequeno Príncipe, de 2015)

Para quem não viu o filme O Pequeno Príncipe, animação do diretor Mark Osborne, vale explicar a referência da imagem, a Menina (assim chamada) é uma das personagens principais do enredo, ela é refém de um plano de vida feito pela mãe que mostra toda a sua rotina durante a infância e adolescência até se tornar uma jovem adulta, formada e vice-líder de uma grande empresa. O plano tinha horários para levantar, tomar café, estudar e não dava nenhuma brecha para brincadeiras. Claro que o enredo da história apresenta muitas reviravoltas, dentre elas, o encontro com O Aviador, o responsável por apresentá-la à história do Pequeno Príncipe, vale a pena separar um sábado e assistir com a família.

Tá… e o que isso tem a ver com a história do seu filho? Tudo. Assim como a mãe caricata do desenho, você também está tentando colocar limites e treinar o seu filho para ser um adulto de sucesso. Porém, diferentemente do filme, os pais da vida real precisam compreender que os filhos possuem um limite de sobrecarga, por isso, deixar espaços para que eles tenham lazer faz parte da boa execução do plano.

#Compreenda o que é cronograma da rotina vs. cronograma de estudos

Um dos erros mais comuns dos pais é fazer o cronograma da rotina como se fosse o cronograma de estudos. Veja o exemplo:

Tabela com horário das refeições

Planejar a rotina é essencial, mas o cronograma acima cai no erro da falta de maleabilidade, por isso, o plano de estudos deve ter uma planilha própria. Exemplo:

Tabela com horário dos estudos

Dessa forma, além de uma visualização mais fácil, você conseguirá cobrar do seu filho a execução da atividade de forma mais fidedigna ao planejamento real de estudos. Se ele precisa estudar uma hora de cada matéria, então cronometre o tempo para que ele assuma a responsabilidade de fazer o que tem que ser feito dentro do que foi estabelecido no plano.

#Incentive o hábito do estudo

Para que seu filho se acostume a cumprir o que foi estabelecido, você deve incentivar o hábito de estudos. Como? Estimulando-o a estudar sempre no mesmo horário, todos os dias, em um local propício para isso (limpo, organizado, silencioso e sem distrações). Além disso, tente mostrar a ele a importância desse esforço e o quanto é boa a sensação de cumprir metas, pois isso permite o aproveitamento do tempo restante para fazer algo que ele realmente queira: como brincar ou jogar com os colegas. Os resultados de uma rotina de estudos bem estabelecida vão incentivar ainda mais o seu pequeno a se dedicar à obtenção de conhecimento.

#Avalie o que desmotiva seu filho

Se mesmo depois de montar um bom cronograma de estudos, dar flexibilidade e incentivar o hábito de estudos, o seu filho não conseguir deslanchar na vida escolar, então é hora de avaliar os fatores que podem estar prejudicando o desenvolvimento das tarefas:

  • É a falta de compromisso? Nesse caso, um incentivo motivacional pode ser o suficiente, mostre a ele histórias de sucesso, o quanto é importante ter tempo para tudo e o quão orgulhosa a família se sentirá ao vê-lo se esforçando.

  • É a procrastinação? Pode ser que as distrações ou o cansaço estejam atrapalhando no momento. Em todo caso, a criação de um hábito poderá solucionar o problema com o tempo.

  • O estresse de acumular matérias: Já demos a dica de flexibilizar para que não haja desespero ao não cumprir uma atividade do dia anterior. O cronograma de estudos não é uma lei, portanto, é possível terminar um conteúdo anterior e ainda seguir as tarefas do dia.

  • Vocês não conseguem ver resultados? Então é necessário rever o que está ocasionando o problema: se o cronograma de estudos tem base pedagógica, se ele abrange os conteúdos escolares, se o seu filho não está estudando suficientemente e usando técnicas para maximizar a aprendizagem (resumos, mapas mentais, flashcards, exercícios) ou, em último caso, se não há algum transtorno que atrapalha a evolução do aprendizado, as crianças com TDAH, por exemplo, possuem o seu próprio ritmo.

Para fechar com chave de ouro, lá vai mais uma dica: estudar é persistir, portanto, incentive o seu filho a dar o melhor de si todos os dias e mostre que você estará junto no planejamento das tarefas para que ele possa se orgulhar da execução de cada uma.